top of page

Diáspora Portuguesa é a maior da Europa


Portugal ainda é um bom lugar para internacionalizar. Porém, com cada vez menos portugueses a viver no País.


A emigração é, em Portugal, um fenómeno de longa duração e grande amplitude que teve, no século XXI, um novo crescimento. Em 20 anos, entre 2001 e 2020, deixaram o país 1.500.000 de portugueses, uma média anual de mais de 75 mil pessoas. Somadas aos movimentos migratórias anteriores do século XX, as saídas mais recentes contribuíram para a constituição de uma população emigrada de grande proporção e que merece uma ação concertada para estancar este êxodo.


Hoje, mais de 2.1 milhões de emigrantes portugueses vivem espalhados. Medida em termos relativos, a emigração portuguesa é a maior da Europa e a oitava maior do mundo. Estes dados, com uma análise apurada sobre este fenómeno podem ser consultados no Atlas da Emigração Portuguesa, elaborado por uma equipe de investigadores do Observatório da Emigração,


Um dos fatores de maior relevância, que acreditamos, para tal fato são os baixos salários vigentes no país. Veja o artigo 


De acordo com uma estimativa do Observatório da Emigração, 30% dos nascidos em Portugal com idades entre os 15 e os 39 anos deixaram o país em algum momento e vivem atualmente no exterior. São mais de 850 mil. Um terço são mulheres. Imaginem o impacto que este fenómeno, absolutamente evitável com uma política social e estratégica de atração e de retenção dos jovens no país. As informações constam no “Atlas da Emigração Portuguesa”, estimado a partir de uma amostra de países de destino da emigração nacional que disponibilizam dados sobre a composição por grupo etário das comunidades estrangeiras residentes, incluindo a portuguesa.


Para você que pensa em internacionalizar produtos, serviços e empresas estas informações são bem importantes. Fale com o nosso Clube. Temos as Embaixadoras e profissionais certas para assessorar você nesta transição.


Em tempo: Portugal embora os desafios ainda é uma fantástica possibilidade de internacionalização para Europa.



Fonte: Observatório da Emigração

Atlas da Emigração Portuguesa. Pesquisadores: Pires, Rui Pena, Inês Vidigal, Cláudia Pereira, Joana Azevedo e Carlota Moura Veiga (2023), Atlas da Emigração Portuguesa, Lisboa, Mundos Sociais. DOI: 10.15847/CIESMS0012023

71 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page